Simulado de rompimento de barragem em São Gonçalo do Rio Abaixo tem público acima do esperado

Se em algumas das sete cidades mineiras que já passaram por treinamentos para o caso de rompimento de barragem nem toda a população que vive na zona de risco participou da simulação, em São Gonçalo do Rio Abaixo, na região Central do Estado, a mobilização da população foi tão grande que o número de pessoas que participaram do simulado, que ocorreu na tarde de quarta-feira (3), foi maior do que o da população que pode ser atingida. O teste foi concluído em 46 minutos, de acordo com a Defesa Civil Estadual, enquanto a lama de rejeitos levaria 7h45 para atingir o município.

De acordo com o tenente-coronel Flávio Godinho, da Coordenadoria Estadual de Defesa Civil (Cedec), o público esperado para o simulado era de 2.444 pessoas, mas 2.674 moradores acabaram participanto do teste. “A primeira pessoa a chegar em um dos 13 pontos de encontro existentes na cidade, o fez em 2 minutos. E a última delas chegou em 46 minutos. Com isso, teríamos mais de 7h de sobra para fazermos a evacuação completa”, explicou.

Ainda conforme o coordenador do órgão, o sucesso do simulado se deve principalmente ao apoio da Prefeitura de São Gonçalo do Rio Abaixo. “Isso serve de exemplo para todos os municípios onde formos fazer o simulado. A prefeitura ajuda muito, principalmente com a decretação do feriado na data do treinamento”, apontou.

Durante a simulação, atuaram na cidade 452 pessoas dos diversos órgãos de segurança, 70 veículos e duas aeronaves. Além disso, 36 pessoas precisaram de atendimento médico nos pontos de encontro, mas nenhuma delas precisou ser encaminhada para hospitais da região.

O prefeito da cidade, Antônio Carlos (PDT), aproveitou para agradecer aos moradores pela participação em massa. “Isso gerou transparência e informação para todos os moradores. O que eu puder fazer de bem para a nossa cidade, nós vamos fazer. Já enviamos para a Câmara um projeto de lei que passa o comando das sirenes para o município, o que visa evitar o que aconteceu no dia 22 de março, quando a sirene foi acionada de forma errada e causou pânico na população. O povo da nossa cidade é ordeiro e não merecia passar por isso”, concluiu.

Defesa Civil fará workshop com cidades onde há barragens

Ainda de acordo com o tenente-coronel Godinho, a Defesa Civil de Minas Gerais acabou se tornando referência em simulados de emergência, sendo que o treinamento deverá se estender para todos os locais onde há barragens no Estado.

“A orientação é abarcar todos os municípios. No dia 22 de maio vamos fazer um workshop na Cidade Administrativa com todos estes municípios que possuem barragens para ensinar e passar essa expertise de como fazer um plano de contingência e o simulado em si, que são medidas muito importantes para salvar a vida de pessoas”, garantiu.