Defesa Civil confirma que talude em Barão de Cocais se movimentou 16 cm nas últimas 24 horas

Em entrevista coletiva concedida na tarde desta sexta-feira em Barão de Cocais, o coordenador adjunto da Defesa Civil estadual, tenente-coronel Flávio Godinho, confirmou que o talude da mina Gongo Soco, da Vale, deslocou-se 16 cm nas últimas 24 horas, o que indica uma ruptura iminente dessa estrutura.

Sobre o estudo divulgado nessa quinta-feira (23), que mostra que o rompimento da barragem Sul Superior poderia atingir três municípios mineiros e 10 mil pessoas, Godinho afirmou que os resultados apresentados mudam pouco em relação ao que já se sabia, e que os simulados realizados são suficientes para proteger a população de Barão de Cocais, Santa Bárbara e de São Gonçalo do Rio Abaixo.

Ele disse ainda que a queda do talude não vai motivar o acionamento da sirene, e que isso só vai acontecer se houver impacto na estrutura da barragem e provocar algum tipo de abalo.

Em entrevista, o gerente substituto da Agência Nacional de Mineração (ANM), Guilherme Gomes, disse que o talude tem 20 milhões de toneladas em peso estimado. Ele ainda criticou a Vale dizendo que medidas preventivas poderiam ter sido tomadas para evitar maiores riscos. “A minha percepção é que a Vale perdeu o timing de mitigar isso. Esse escorregamento de taludes são inerentes da mineração, acontecem, claro que em menores proporções. Mas um escorregamento dessa monta, na minha visão, a Vale deveria ter mitigado ou mesmo feito um desmonte controlado disso”.