Campanha contra Influenza começa nesta quarta-feira em todo o país

Começa nesta quarta-feira (10), e segue até o dia 31 de maio, a 21ª Campanha Nacional de Vacinação contra a Influenza. A atividade envolve recursos financeiros das três esferas gestoras do Sistema Único de Saúde (SUS): União, Estados e Municípios. Em Itabira, a ação é realizada por meio da Secretaria Municipal de Saúde (SMS).

Nesta campanha, além dos indivíduos com 60 anos ou mais de idade, serão vacinadas as crianças de seis meses a menores de seis anos (cinco anos, 11 meses e 29 dias), gestantes, puérperas (até 45 dias após o parto), trabalhadores da saúde, professores das escolas públicas e privadas, povos indígenas, grupos portadores de doenças crônicas não transmissíveis e outras condições clínicas especiais, adolescentes e jovens de 12 a 21 anos de idade sob medidas socioeducativas, a presidiários e os funcionários do sistema prisional. De acordo com o Ministério da Saúde (MS), a meta é vacinar, pelo menos, 90% dos grupos elegíveis para a vacinação.

Este ano a estratégia será realizada considerando momentos específicos para a mobilização da população. No período de 10 a 12 de abril, na região sul do país, serão mobilizados os grupos prioritários de crianças, gestantes e puérperas; entre os dias 15 e 19, em todo o país, serão mobilizados os grupos prioritários de crianças, gestantes e puérperas. A partir do dia 22, a vacinação contra a influenza ocorrerá com a mobilização de todos os grupos prioritários. Em todas as ocasiões haverá a atualização da Caderneta de Vacina, com a oferta das demais vacinas do Calendário Nacional de Vacinação, para crianças e gestantes. Portanto, para receber as doses, que serão aplicadas nas unidades de saúde que possuem sala de vacinação, é necessário apresentar o Cartão de Vacina.

A mobilização nacional, também conhecida com o Dia D, será no dia 4 de maio. Nesta data, todas as unidades de saúde do município funcionarão das 8h às 17h. Cada pessoa que se encaixa nos grupos a serem imunizados deve ser vacinada, exceto aquela que estiver com febre no dia da vacinação. Quem tem histórico de alergia a ovo deve receber a vacina em ambiente adequado (atendimento de urgência e emergência) para tratar manifestações alérgicas grave.

Influenza

A influenza é uma infecção viral aguda que afeta o sistema respiratório. É de elevada transmissibilidade e distribuição global, com tendência a se disseminar facilmente em epidemias sazonais e também causar pandemias.

De acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS), estima-se que a ocorrência de casos da influenza varia de leve a grave e pode até levar a óbito. Hospitalização e morte ocorrem principalmente entre os grupos de alto risco. Em todo mundo, calcula-se que estas epidemias anuais resultem em cerca de 3 a 5 milhões de casos de doença grave e de cerca de 290 mil a 650 mil mortes.

A doença pode ser causada pelos vírus influenza A, B e C. Os vírus A e B apresentam maior importância clínica: em média, as cepas A causam 75% das infecções, mas em algumas temporadas, ocorre predomínio das cepas B.

Transmissão

A transmissão da influenza ocorre principalmente por meio do contato com partículas eliminadas por pessoas infectadas ou mãos e objetos contaminados por secreções. A doença é muito elevada em ambiente domiciliar, creches, escolas e ambientes fechados ou semifechados.

Manifestações clínicas

O período de incubação do vírus influenza varia entre um e quatro dias. Os sinais e sintomas da doença são muito variáveis, podendo ocorrer desde a infecção assintomática, até formas graves.

A influenza é caracterizada por um início súbito de febre, tosse, dor de cabeça, dores musculares e nas articulações, mal-estar, dor de garganta e coriza. A tosse pode durar duas ou mais semanas. A maioria das pessoas recupera-se da febre e de outros sintomas dentro de uma semana, sem necessitar de cuidados médicos. Complicações ou mortes podem ocorrer especialmente em pessoas de alto risco. Ocorre também aumento nas taxas de hospitalização por pneumonia.

Embora a maioria das infecções por influenza tenha evolução autolimitada, a febre, em geral, é alta (38ºC a 40ºC), podendo desencadear convulsão febril em crianças. A febre, em geral, dura de três a cinco dias, mas a tosse e a fadiga podem se prolongar por duas semanas ou mais. Lactentes infectados pelos vírus influenza podem apresentar quadro semelhante à sepse. Infecções de mucosas, como otite e sinusite, e o agravamento de crises de asma e bronquite crônica são muito comuns.